domingo, 20 de junho de 2010

Toque de Acolher fiscaliza festa de largo

Fiscalização de bares e barracas para não venderem bebidas alcoólicas a menores. Este é o trabalho principal que os Agentes de Proteção a Infância e Juventude do município de Santo Estevão estão exercendo desde o início dos festejos juninos que iniciou no último dia 19 na Praça Sete de Setembro.
Composto por um grupo de aproximadamente quinze comissários, a festa está acontecendo em ritmo tranqüilo e sem situações agravantes. “Mesmo que esteja tranqüila, é bom que o comissariado esteja aqui para evitar graves problemas. Uma das novidades que podemos ressaltar nesta festa é que das poucas ocorrências, não tivemos nenhuma caso de menores traficando ou usando drogas”, enfatizou Silvio Belo, diretor do Juizado da Infância e Adolescência da Comarca de Santo Estevão.

Silvio Belo "Mesmo que a festa esteja tranquila, é importante estarmos aqui para evitar possíveis problemas"

Por determinação da portaria do Toque de Acolher, no período de São João é a venda de bebidas alcoólicas para menores. “Se for encontrado algum barraqueiro ou dono de bar vendendo bebida para menor, o estabelecimento será fechado e o proprietário será encaminhado para delegacia da cidade”, informou a coordenação do juizado.
De acordo informação da Polícia Militar, das ocorrências que foram registradas até o segundo dia de festa, nenhuma foi considerada agravante. “Há muito tempo não temos uma festa tranqüila como esta, considero que o fator que contribui para tal é o forró pé de serra que não provoca muito tumultuo”, comentou o oficial de operações da PM, sargento dos Anjos.
SÃO JOAO - 1° dia 401 por Prefeitura de Santo Estevão.
A multidão curte o São João em paz, pois é essa a proposta do toque
Conforme notícia veiculada que o toque estaria suspenso nos dias de São João, muitos pais ficaram temerosos com a situação dos menores. “Tinha medo, pois pelo fato de ter um filho de 16 anos e gostar de bebida alcoólica, acreditava que iria ter problema se não tivesse comissários na rua para ao menos inibir ele. Com o número de pessoas do juizado que sempre passa no meio da multidão, percebo que não só meu filho, como outros menores apresentam comportamento diferenciado”, salientou Estela Conceição.

Texto: Clécia Rocha
Foto: ASCOM da Prefeitura Municipal de Santo Estevão

Nenhum comentário:

Postar um comentário