domingo, 6 de junho de 2010

Toque de Acolher reduz a violência

Para comemorar os êxitos alcançados na Comarca de Santo Estevão, na manhã de ontem (02), autoridades e população em geral se reuniram na Praça Sete de Setembro para celebrar um ano do Toque de Acolher, medida que tem como objetivo combater a violência e criminalidade envolvendo menores.
Para festejar o primeiro ano da medida, um bolo de setenta e cinco metros foi servido para todos que estavam presentes na praça.
Na comemoração de um ano do Toque, estiveram presentes várias autoridades do executivo, legislativo, judiciário e autoridades civis e religiosas. Além de representantes locais, também participaram do aniversário o deputado estadual Jurandy Oliveira, representantes da Polícia Militar, monsenhor José Nery, pároco de Santo Estevão e vigário geral da Arquidiocese de Feira de Santana, os prefeitos das cidades que pertencem à comarca, Rogério Costa e Ailton Silva, e os delegados de polícia das cidades de Antonio Cardoso e Santo Estevão.
Aniversário de 1 ano do Toque de Acolher por Prefeitura de Santo Estevão.
SATISFAÇÃO
"Após os parabéns, o juiz entrega o primeiro pedaço de bolo a uma menor"

Um dos objetivos dos festejos de primeiro ano do Toque de Acolher foi a redução na criminalidade e tráfico de drogas envolvendo menores. Para o delegado Marcelo Neves, a ação desenvolvida pela medida deveria ser adotada por todo o Estado, pois, segundo ele, esta é uma das maneiras que a justiça encontrou para ajudar as famílias a educarem os filhos. “Outras cidades deveriam tomar como exemplo, uma vez que o índice de consumo e de tráfico de drogas por adolescentes cresce a cada dia. Uma das cidades onde se faz necessário uma ação como o Toque é Feira de Santana, devido ao índice de violência que tem apresentado”, disse Marcelo Neves.
Uma das autoridades também presentes na comemoração do primeiro ano da medida foi o representante do Conselho de Segurança da cidade de Dias D’Ávila, que será a próxima cidade a adotar o Toque de Acolher. “O município de Dias D’Ávila também carece muito de uma ação como o Toque de Acolher, pois a realidade do tráfico de drogas preocupa muito a população. É um absurdo menores de dez anos traficando e não ser adotada uma atitude urgente”, comentou Luiz Carlos Correia, presidente do Conselho.
De acordo com o juiz José Brandão, pedofilia, tráfico e infrações envolvendo menores foram reduzidos drasticamente em Santo Estevão. “Baseado em registros da delegacia de Polícia Civil da cidade de Santo Estevão, em Janeiro de 2009 foram registrados trinta e dois casos de infrações envolvendo menores. Após um ano do Toque de Acolher, as estatísticas apresentaram uma redução de mais de 50%”, informou o magistrado, comemorando que após o toque um dos pontos positivos também apresentados é a redução da prostituição infantil.
Conforme informações do prefeito Rogério Costa, o trabalho desenvolvido pelo Toque de Acolher complementa as ações do município no combate à violência. “Segurança não depende só do município, nem do estado e nem da polícia. Uma ação como o Toque de Acolher só faz ajudar na tranquilidade do município e oferecer mais sossego aos pais”, comentou o prefeito.
Conforme o magistrado José Brandão, uma das ações de destaque em um ano de Toque de Acolher é a realidade do município de Ipecaetá. “Ipecaetá não tinha juizado, depois do Toque, e ao perceber a necessidade, o executivo construiu um”, salientou.
Emocionado, o juiz José Brandão falou para a nossa reportagem que o Toque de Acolher só apresenta resultados positivos pela união entre os três poderes. “A medida só deu certo na Comarca porque nós tivemos o apoio da comunidade em geral, do executivo, do legislativo, do judiciário e também da igreja”, afirmou.


Fonte: Tribuna da Bahia / Clécia Rocha e Paulo Rabêlo (colaboradores)

Nenhum comentário:

Postar um comentário